8 de fevereiro de 2014

9

Blogagem Coletiva: Esmalte + Comer, comer.

Hoje o tema da blogagem saborosa e prazerosa, hehehe.

Eu tenho uma longa trajetória com a comida, mas para não ficar chato dei uma resumida.

Cresci no interior nos anos 80 em uma família simples, isto é, comida sempre muito caseira, feita pela minha mãe e sair fora para comer era ir a casa das minhas avós.

Apesar de naquela época usarem muito banha para fazer arroz, feijão (que delícia, pena que não me pertence mais, rs), comia-se tudo feito em casa, bolos, pães, bolachinhas... Leite? Ahhhh o leite, esse era trazido pela moça da fazenda, tirado a pouco tempo da vaca (o verdadeiro leite).

Frango que delícia... Eu ia com o meu avô na granja (que saudades desta época e do meu avô), comprava umas 3 galinhas vivas (claro) e trazia para a minha avó preparar.

Eu era chiclete da minha avó, então tudo que ela fazia eu estava junto e via como era. Não tinha esse negócio de ter dó da galinha, porque não existia (pelo menos para nós) frango congelado ou comprar no açougue.

Eu adorava o dia de fazer galinha, rs. Minha avó já esperava meu avô com a panela fervendo. Matava as galinhas destroncando o pescoço e já ia depená-las. Daí passava no fogo para tirar as penugens e depois ia para o momento que eu mais gostava. Abrir a galinha e eu ficava esperando para ver se tinha ovo. E 90% das vezes já tinha um ovo prontinho e outros 10% o ovo estava sendo formado.

Comprávamos a galinha para comer, como nunca vi judiar então não sentia dó, simples assim!

Na minha casa nunca faltou frutas, muitas delas eram de graça porque manga, goiaba, jabuticaba, abacate eram pegas ali perto de casa nas árvores que tinham nos quintais dos vizinhos.

Na minha casa tinha goiaba e seriguela.

Salada, legumes e verduras sempre comi e sempre amei, sorte a minha!


Cresci assim, comendo coisas caseiras e minha mãe e avós sempre foram boas para cozinhar e até hoje as melhores comidas para mim são as delas.

Fazia muitooo exercício quando era pequena e quando cresci continuei a comer sempre coisas caseiras.

O problema mesmo foi quando me casei e mudei de cidade. Do interior fui para a Capital e comecei a viver uma vida muito diferente. Minha cabeça entrou em parafuso e daí comecei a comer o que eu não comia como congelados, muitos lanches, refrigerante demais...

Engordei 20 quilos!!!!

Quando me vi daquele tamanho, fiz uma retrospectiva nos últimos meses o que estava comendo e vi que era muito diferente do que eu havia aprendido a comer desde criança.

Parei com tudo e voltei aos velhos e bons tempos. Eu mesma comecei a preparar meus alimentos, hoje com um grau de conhecimento e facilidades aprendi que sal, açúcar, óleo, fritura, refrigerantes não eram benéficos a saúde. Então mudei o jeito de preparar os alimentos.

Cortei o que realmente não me faziam bem como: fritura, refrigerante, massa branca, açúcar e as substituições e um novo paladar entraram na minha vida. Que bom!!!


Hoje meu marido me acompanha em tudo e tem um paladar ótimo para provar novos alimentos e novas formas de preparo, isso ajuda muito.


A lição que eu tive de tudo isso é que a infância realmente é tudo. É na infância que o paladar deve ser apurado, na infância que devemos provar de tudo porque isso fica guardado sim na memória.

Hoje para mim a reeducação alimentar é fácil, porque na minha infância comida tudo que era bom e eu já gostava. :o)))


Hoje tem cafezinho sim, mas com adoçante...


Continua tendo muitas frutas e detalhe, meu marido tem gostado muito mais de frutas...




As vezes vamos para um lugar que eu amooo tomar cafezinho da manhã ou da tarde... Eu me permito a isso sim, mas sempre procurando escolher o que como onde quer que eu esteja.

Não deixo de viajar, conhecer novos restaurantes devido a alimentação... Sempre escolho a melhor opção e nem tenho vontade de comer outras mais engordativas...


Quem não gosta de pizza né? Para falar a verdade aqui em casa gostamos mais de montar a pizza em casa. Sair para comer pizza até saímos, mas sempre peço uma opção com menos queijo, sem muita gordureba.

O auge das nossas vidas é a pizza montada em casa mesmo. Compro massa integral, coloco queijo light (sim tem muita diferença para o normal), peito de peru light, manjericão, molho feito em casa e pronto.

Temos já vários recheios preferidos e nos divertimos. Fica bom demais, além de bem mais barato, porque pelo menos em SP a pizza é mega cara.



Salada não pode faltar em casa e na minha vida, principalmente salada que tenha frutas junto...


"Salada com figo"

"Salada de quinua com hortelã, tomate cereja, passas e pepino"


Cuscuz marroquino é deliciosooo e sempre faço em casa. Eu e meu marido adoramos e o cuscuz é bem versátil, não enjoa.

"Cuscuz marroquino com abobrinha italiana, cenoura e salsinha"

Sobremesa eu não gosto muito para falar a verdade... Nunca como a sobremesa em lugar nenhum por falta de vontade mesmo. Quando vou ao restaurante nem olho o que tenho, rs.

Quando tem sobremesa em casa geralmente é em porções individuais e saudável. Vez ou outra faço uma sobremesa "normal", mas bem as vezes.


"Iogurte grego batido com amoras"


O esmalte que passei foi justamente para combinar com esta fruta que eu e marido amamos e que nesta época nunca falta em casa, o figo.

Cor Dádiva da marca Anita.




Quer participar da blogagem coletiva? Vá até o site da Fernanda Reali e veja como participar.
http://www.fernandareali.com


Beijos :o))

9 comentários:

Vida disse...

Aqui em Salvador raramente encontramos amoras... fiquei com vontade desta sobremesa, pois amo um docinho...

Chris Ferreira disse...

Oi Carol, a infância é fundamental mesmo. Por isso eu cuido para que as minhas filha aprendam a fazer as melhores escolhas. Esse iogurte grego batido com amoras deve ficar divino.
Adorei a cor do esmalte e a sua história de alimentação junto com a sua família.
beijos
Chris
Inventando com a Mamãe

Diacuy Piccione disse...

Primeiro quero dizer que amei sua infancia, ler foi como ler Monteiro Lobato. delicia pura.
Segundo: amei me isnpirei nas suas saladas, saladas bonitas e saudáveis, porque vejo cada salada por aí que tem mais calorias que uma pizza.
beijo grande.

Jack Lins disse...

Olá Carol.
Que infância gostosa, lembrei de alguns fatos parecidos com a minha, já outros....eu morria de pena das galinhas, rsrsr
Sempre fui muito enjoada pra comer, muito mesmo, e isso acabou influenciando negativamente na alimentação dos meus filhos.
Hoje, sofro pra fazer reeducação, já que muita coisa é nova pra mim, e o organismo já não quer mais aceitar.
Adorei as suas unhas, e as frutas também.
Tenha um ótimo domingo e uma semana muito abençoada.
beijos

Luciana Aragão disse...

Nossa Carol, deu fome com essas imagens..

Marion disse...

Concordo, é na infância que o paladar se desenvolve... E que bom que conseguiste voltar aos hábitos do interior, fazendo tua alimentação, saudável! lindas fotos! Abs.

Adelaide Araçai disse...

Estamos usando a mesma cor de esmalte...adoro..
Sim também aprendi a comer bem na infância, mas confesso que a juventude me estragou um pouco, mas consegui reverter quando me vi mãe...rsrs

Muita Luz e paz
Abraços

Andreia Sales disse...

Hahah eu também sou da era que comia com Banha e tudo.
Agora temos que fazer escolhas mais saudáveis pra ficarmos bem.
Bjks

Bolhinhas de Sabão para Maria disse...

Olá Carol, que riqueza esse post, tanto pelas lembranças maravilhosas da infância, quanto pela alimentação saudável que você apresentou.

Infância é tudo de bom, é nela sim que guardamos nossos maiores tesouros e você soube valorizá-los muito bem. Fiquei imaginando cada cena contada aqui, inclusive do ovo dentro da galinha...rs.. deveria mesmo ser uma diversão pra você..

Lembrei-me de uma única vez que pai foi matar uma galinha la em casa, ao contrário de você não era costume nosso fazer isso.. e eu... chorei e implorei pra ele não matar..rs... Ele brigou comigo e nunca esqueço..rs A pobre da galinha não escapou..rs

Mas quem é acostumado com isso, vê como tudo natural... Muito rica sua vida da infância e parabéns por ter se conscientizado para uma alimentação saudável...

As saladas sempre me chamam atenção. Não vivo sem ela, e a sua está linda e com uma cara de deliciosa..

Figo é tudo de bom.. o esmalte ficou lindo em combinação. Na casa do pai tem pé de figo, vez ou outra quando ele estava mais saudável (hoje está infartado lutando pela vida, irá fazer um ano), ele pegava figo do pé e fazia doce. Tem o tacho na casa deles. Ficava verdinho e delicioso..

Bom... deixa eu ir... deu saudade aqui também.. hoje a vida é tão diferente com nossos filhos... uma pena!
Beijos grandes e fique com Deus

Teresinha Nolasco

Postar um comentário